fbpx
Categorias

Leonardo Da Vinci «pai» das lentes de contacto

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Entre as criações de Leonardo da Vinci, está a ideia de aplicar lentes corretivas diretamente na superfície do olho

A ideia de aplicar lentes corretivas diretamente na superfície do olho foi proposta pela primeira vez em 1508 por Leonardo da Vinci. Ideia similar teve René Descartes (filósofo, físico e matemático francês) em 1636. Mas, foi somente em 1887 que o fisiologista alemão Adolf Eugen Fick construiu as primeiras lentes de contato.

A ideia das Lentes de Contacto é muito mais antiga do que as lentes em si, tendo sido aperfeiçoada ao longo dos tempos. De acordo com vários historiadores foi Leonardo da Vinci que imaginou o uso de lentes corretivas diretamente sobre as córneas já no início do século 16 e, em 1823, o astrónomo inglês Sir John Herschel propôs-se criar um molde a partir dos olhos de humanos para produzir lentes corretivas.

Primeiros esboços

Contudo, segundo reza a história, o primeiro esboço de lentes de contacto, muito semelhantes às actuais, surge no Código sobre o Olho, de Leonardo Da Vinci, no século XVI. Na altura, o «invento» foi considerado interessante mas pouco viável. Hoje em dia, pelo contrário, as lentes de contacto são práticas, leves e de fácil manuseio, além de terem algumas vantagens sobre os óculos, designadamente por oferecerem um maior campo de visão, não embaciar com tanta facilidade e permitir que os usuários se possam dedicar à prática de diversas atividades sem ter de usar óculos.

No entanto, nem sempre a vida de quem usa lentes de contato foi tão fácil assim. Você já parou para pensar em como elas eram no passado? De acordo com Gary Heiting, do site All About Vision, em 1508, o pintor italiano imaginou uma lente corretiva aplicada diretamente na superfície do olho, que por sua vez poderia resolver problemas de visão. Em 1632, René Descartes teve uma ideia semelhante.

Invenção das primeiras lentes

Foi só em finais do século XIX é que as lentes seriam «criadas» pelo laboratório de peças óticas F. E. Muller, em 1887, e pelo médico suíço Adolf Eugen Fick, em 1888. Desenvolvidas a partir do vidro, as primeiras lentes não tiveram grande utilidade, acabando por ferir os olhos de quem as usava. Mas, o aparecimento do plástico, na década de 30 do século passado, proporcionou o grande salto. O polimetilmetacrilato (PMMA) estava a ser desenvolvido para o fabrico de peças de avião. Devido à sua leveza e fácil manuseio, foi utilizado na confeção de lentes rígidas, também chamadas acrílicas.

Tecnologia revolucionária

Mas, só em 1971 a empresa Bausch & Lomb lançou nos Estados Unidos o primeiro modelo de lentes gelatinosas, muito mais maleáveis e confortáveis do que as disponíveis anteriormente. As lentes descartáveis, no entanto, só surgiram em 1995.

A maioria das lentes de contacto disponíveis hoje no mercado, comercializadas pela Nacional Óptica e pela Prolente, são seguras e eficientes, proporcionando uma melhor visão no dia-a-dia e facilitando a prática de desporto, sendo usadas para corrigir miopia, hipermetropia, astigmatismo, presbiopia, etc.

Leia Também